quinta-feira, 14 de novembro de 2013

2388 - Marta Bonfante

Durante este fim de semana fiz uma coisa diferente, ao menos pra mim. Levei meus guaches para o parque e resolvi pintar ao ar livre. Sempre fiz desenhos de observação, mas nunca pintei assim. Foi uma experiência muito legal. Primeiro porque há muitas diferenças entre pintar um objeto qualquer dentro do estúdio e pintar ao ar livre. As nuvens em movimento mudam a luz o tempo todo, e para escolher um foco no meio de uma paisagem ampla você precisa de atenção e concentração redobradas. Minha primeira dificuldade foi justamente essa: escolher meus pontos de atenção, meu enquadramento. A segunda foi trabalhar com as tonalidades em tempo hábil, devido à constante mudança da luz. Na pintura da árvore apanhei um pouco mais. Na da roda d'água usei a experiência da primeira para não cometer os mesmos erros. Fiquei um certo tempo observando antes de pintar para poder planejar melhor o que ia fazer. O resultado está logo abaixo:



5 comentários:

Lúcia disse...

Marta, que beleza! E que disciplina!! Gostei muito mesmo, principalmente da descrição da tarefa. Muito bacana. Bjs

Silvia Meneses disse...

Marta
faço minhas as palavras da Lúcia.

Também me aventurei nesse final de semana e fui desenhar ao ar livre, assim que terminar o desenho posto aqui.

Abs

Marta Bonfante disse...

Eu adorei a experiência, vou repeti-la sempre! E recomendo, vale muito a pena. Lúcia, tem que ter uma certa persistência, mas é uma disciplina gostosa. Queremos ver os desenhos, Silvia. :)

Beijos!

Tati Karpa disse...

Fantástico, Martinha!!!
Muito legal tb vc contar como foi sua experiência, assim nós enferrujados tb criamos coragem de nos aventurar em pinturas ao ar livre...

SAUDADES ENORMES

bjs

Tati enferrujada (de pintura e de treino rs)

Marta Bonfante disse...

Ah Tati! Eu mais que recomendo! Vamos nos desenferrujar. Não tenho conseguido ultimamente, mas em breve quero fazer mais pinturas assim. Muitas saudades também!! Beijos ;)