quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

115 e 116 - Gilberto Queiroz


Estou me obrigando a fazer ao menos um rascunho por dia, e postar, é claro, kkk. Meus motivos ainda não são muito bonitos. Ontem a praça aqui perto estava vazia, e parecia ideal pra que me sentasse e arriscasse uns rabiscos mais belos. Mas ainda faltou o hábito de andar c/ o caderninho.
E o hábito, dizem, é como uma corda. Vai-se tecendo um fio dela a cada dia, e, finalmente, não se pode rompê-la. A minha corda ainda está demasiado fina e frágil.
Abração e parabéns a todos.

6 comentários:

Edde Wagner disse...

Mas neste tipo de exercício pictórico - bonito, isso! - o mais importante é o exercício em si!

J. DAVID LEE disse...

Manda ver, velho! Não desanima, não! Abração.

J. DAVID LEE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gicelle Archanjo disse...

A minha tb! seus desenho são lindos, expressivos, parabéns!

cri-caminhos e artes disse...

cara fala se não é o maximo desenhar uma praça!se precisa pegar um terreno baldio... véio, aquele caos todo... se soubesse que um dia teria um espaço assim, não teria jogado os desenhos fora. que pena...meu, os seus "rabiscos" estão demais véio...são expressivos, a leitura dos objetos estam claras,continue assim, o caderninho tem que ser a sua biblia! andar com ela embaixo do suvaco o tempo todo.fui....

mercadovisual disse...

Vou amarrar o caderninho no pescoço, kkk. Valew,pessoal.